sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Queridos alunos,vejam alguns momentos do nosso passeio ao Monte da Bela Vista e

registrem as impressões, emoções, enfim façam as apreciações e comentem.

BEIJOS!

Assista o Vídeo:


video





"Daqui para frente, existe, sobretudo, os perigos de

vida e morte para a humanidade, como ameaça da

arma nuclear, como a ameaça ecológica, como o

desencadeamento dos nacionalismos acentuados pela

religiões. É preciso mostrar que a HUMANIDADE

VIVE AGORA UMA COMUNIDADE DE DESTINO

COMUM."

Edgar Morram

Façam os comentários refletindo sobre o vídeo e o pensamento de Edgar

Morram. Beijos, Professora Conceição.

sábado, 12 de setembro de 2009


A natureza
Luane da Silva Ramos

Amigos e amigas
Parem, ouçam o que vou lhe dizer
A natureza é um bem
Para mim e para você!

As plantas e os animais
Todos são nossos irmãos
Cuide bem deles
De todo coração
Pois foi Deus quem os criou
A natureza e tudo mais
E nós devemos cuidar dela
com carinho, amor e muita paz!

A natureza,
É muito linda de se olhar
Pois nela existe tudo
Que você possa pensar!

Ar, água, os animais
Todos precisam de proteção
Preservar é indispensável
Esta é a grande lição!

Quem ama cuida
Larissa R. da Silva

Meu irmão não é brincadeira não,
Estamos poluindo e destruindo,
O mundo onde vivemos!
E agora onde moraremos?

Estamos destruindo as árvores,
Que são muito belas!
O oxigênio está sendo poluído,
Pelos lixos e desmatamentos,
Por que não ter cuidado e discernimento?

O ar que estamos poluindo
É o ar que respiramos!
Os animais de várias espécies
Estão entrando em extinção



O Planeta em que vivemos está sofrendo,
Tudo que está acontecendo ele está dizendo!
As geleiras estão se derretendo!
Devemos estas coisas impedir
Para que o mundo continue a existir!



O Planeta pede socorro
Adelly Cardoso de A. Fagundes

Vou-lhes contar uma história,
Deste mundão
Precisamos preservar:
O ar,
As matas,
O chão!

O Planeta precisa,
De nossa contribuição!
A mãe terra pede socorro,
Carinho e atenção!

Nossos filhos
E netos,
Vão nos agradecer!
E a mãe Terra,
Vai nos enobrecer!

Ai sim!

Todos vão poder viver...

domingo, 23 de agosto de 2009


Tecendo a Manhã


Um galo sozinho não tece uma manhã.
ele precisará sempre de outros galos.
De um que apanhe esse grito que ele
e o lance a outro; de um outro galo
que apanhe o grito que um galo antes
e o lance a outro; e de outros galos
que com muitos outros galos se cruzem
os fios de sol de seus gritos de galo,
para que a manhã, desde uma teia tênue,
se vá tecendo, entre todos os galos.


E se encorpando em tela, entre todos,
se erguendo tenda, onde entrem todos,
se entretendo para todos, no toldo(a manhã)
que plana livre de armação.
A manhã, toldo de um tecido tão aéreo
que, tecido, se eleva por si: luz balão.



MELO NETO, J.C. Tecendo a manhã. In: Cabral – antologia poética. Rio de Janeiro: José Olympio, 1979, p. 17.